Amamentação Prolongada

A amamentação prolongada é um tema pouco abordado pois a média do aleitamento materno exclusivo é de 54 dias, para a mulher brasileira, e cerca de 340 dias para o desmame.

Amamentação Prolongada

O Brasil está entre os 22 países onde a amamentação está sendo incentivada  apresentando portanto um crescimento nos índices.

Em estudo recente da revista The Lancet, uma das mais conceituadas publicações médicas, indica que o aleitamento materno prolongado, o extended breastfeeding, vai muito além do “ato de amor” que as pessoas costumam dizer.

O aleitamento materno deve ser exclusivo até o 6° mês de acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde) estendendo-se até 2 anos ou mais, devido a importância nutricional do leite materno, considerado o alimento mais completo de todos. Mas isso todo mundo já está cansado de saber (ou deveria estar).

O que pouco se fala, e é o objetivo desse post, é sobre os benefícios da amamentação prolongada.

Amamentação Prolongada

Virei uma “ativista” da amamentação. Coloco entre aspas pois, longe de ser uma militante, fui literalmente ativa na função de amamentar. Jamais fiz uma mamadeira, e Arthur não toma leite artificial. Cheguei a perguntar na escola se ele tomava alguma coisa no lanche, mas ele prefere suco e recusa o leite… eventualmente toma a vitamina na escola, mas em casa nunca aceitou.

Amamentei Arthur exatos 3 anos, 6 meses e 17 dias. Mas vou deixar o assunto “desmame” para outra oportunidade, já que estamos na Semana Mundial do Aleitamento Materno e o objetivo é incentivar a amamentação através de seus benefícios, conscientizando mães, pais, familiares e a sociedade em geral para a importância do tema, do suporte a mãe, do cuidado e do amparo neste momento que não é fácil para muitas, tanto de forma física quanto emocional.

Em meio a tantos olhares atravessados de reprovação e outros tantos de admiração, amamentei Arthur, acreditando nos benefícios do leite que estava produzindo. Muita gente me dizia que aquilo era apenas um vício para ele, que nós dois precisávamos nos “desmamar”, que o leite já era “água suja”, que o apego era apenas emocional… isso sem contar comentários ofensivos (jamais sofri agressões, mas cheguei a ouvir a palavra “nojo” em muitas situações e em grupos diferentes de pessoas).

Através da amamentação, a mãe, além claro do contato afetivo prolongado, tem a capacidade de fornecer de maneira exclusiva, ou seja, personalizada, uma quantidade absurda de anticorpos contra diversas doenças respiratórias, do aparelho digestivo, imunológicas, prevenindo por exemplo, linfomas na infância, além da prevenção da obesidade.

Amamentação Prolongada

A amamentação prolongada também é importante para a saúde da mulher. Pesquisa publicada no Jornal de Pediatria, da Sociedade Brasileira de Pediatria, 2004, através de análise de estudos de 1990 a 2004, comprovam menor risco de câncer de mama e ovário, menor índice de fraturas de quadril por osteoporose e contribuição para o maior espaçamento entre gestações, favorecendo o planejamento familiar.

Posso citar outro “fator de risco”, se posso assim dizer: o fator financeiro. Qual o preço médio de uma lata de fórmula? Faça as contas… (eu não saberia, rsrsrs).

Concordo que pode ser cansativo o fato da mulher não ter com quem revezar a tarefa – neste post compartilho algumas dicas sobre aquilo que vivi – mas também não é nada fácil acordar na madrugada para preparar a mamadeira. A “minha” esteve sempre pronta, na temperatura ideal, sem desperdício.

Outro ponto (pessoal) que posso aqui ressaltar: desde o final de 2015 estive buscando para mim uma alimentação cada vez mais livre de rótulos, onde o descascar é mais valorizado que o desembrulhar, logo a amamentação fez todo o sentido! Leia o rótulo de uma lata de fórmula!

Nada contra quem optou por dar fórmula por qualquer motivo, gente! Por favor! Sou muito da paz e não levanto bandeiras, pois cada mulher, cada família tem suas crenças e valores, cada um sabe suas dores e limites, portanto é uma decisão que cabe a cada mãe e filho, estendendo-se aos pais, familiares e amigos, nessa ordem… Mas que a amamentação deve ser encarada como ela realmente é, natural.

Reflita em sua postura diante das mães que estão nesse momento.

O período de amamentar é tão pouco colocado naquela linha do tempo em que as vidas da mãe e do filho se cruzam…. Literalmente não custa nada e passa rápido. Aqui passou tão depressa que nem houve tempo para despedida.

Lembrando:

O colostro faz bem ao bebê –  Tente amamentar logo em seus primeiros momentos de vida

Não existe leite fraco

Alimentação da mãe influencia no aleitamento materno

Nenhuma fórmula artificial é igual ou superior ao leite materno

Atividade física não seca o leite

Publicado por Estela Maria em 2 de agosto de 2016 às 22:19