Gravida pode Fazer Musculação?

Sou adepta da musculação há muitos anos. Além de ser fundamental para estética, que é o motivo inicial pelo qual a maioria das pessoas inicia um programa de musculação, é uma atividade terapêutica.

Gravida pode fazer musculação

Estranho usar essa palavra em algo que nos traz dor, mas a terapia em questão significa prevenir ou tratar um problema, quer seja postural, físico, emocional, e até mesmo social.

Aos poucos, a musculação foi se tornando parte integrante de meu dia a dia, minha mente e meu corpo pedem aquele momento, como um cuidado essencial a minha saúde, tanto quanto tomar água.

Vez ou outra (raro isso acontecer), posso me ver apática e entediada, mas logo o sentimento passa e eu retorno aos meus treinos com bastante garra e dedicação.

Não foi diferente durante minha gravidez. Em 2012 eu treinava em uma grande academia de Santo André – SP, estava em plenas condições de saúde e treinei musculação e corrida até meados do 7° mês, quando fui acometida de pubalgia, substituindo minha querida musculação por hidroginástica e ioga, numa tentativa de me manter saudável e ativa até a hora do parto, o que de fato aconteceu.

A musculação, bem como a maioria dos exercícios físicos, não é contraindicado mesmo no período gestacional. Como para qualquer pessoa, há a necessidade de se observar pequenos cuidados para que a prática traga apenas seus benefícios.

A mulher grávida talvez fique um pouco mais fraca, uma vez que a energia como um todo tem um dever maior que é o cuidado com o bebe, então o corpo se programa completamente para atender aquela demanda principal. Isso explica também aquele sono… Além disso, secretamos hormônios de preparação para o momento do parto, dentre eles a relaxina, que afasta as articulações para a passagem do bebê. Então mulheres grávidas são mais flexíveis e devem se atentar a isso para evitar lesões.

Muitas mulheres aproveitam a gestação para passarem a se cuidar mais. Ótimo pensar assim! Inicie sua prática acompanhada por um profissional, lembrando que não é o momento de exigir performance de si mesmo, mas de buscar exercitar o corpo e mantê-lo ativo e saudável. Faz bem a mamãe e ao bebê.

No mais, como qualquer pessoa saudável, ouça seu corpo, treine no seu limite.

 

Publicado por Estela Maria em 26 de janeiro de 2016 às 17:19