Montando o Orçamento Pessoal

Olá,
Desde o último post sobre finanças, estive um tempo sem escrever por conta de alterações no nome, endereço e layout do blog. Mas agora vamos que vamos!
Esse tempo, espero ter sido suficiente para você anotar, na planilha que disponibilizei, todos os gastos de uma semana, e, preferencialmente, do seu mês. O primeiro mês é sempre o mais chato, afinal você sai de sua zona de conforto, onde sua única preocupação era saber se havia dinhero na conta. Agora, anotar cada compra e gasto, parece te prender a sua agenda, não é?

Aliás, em tempos de smartphone, não substituo a agenda de papel. Fazer as anotações ao final do dia, uma linha seguida da outra, pode facilitar. Deixar para usar a planilha do computador apenas uma vez por semana, em casos onde não é tão acessível, não é má opção. E talvez seja uma melhor estratégia para iniciar seu relacionamento com o orçamento e a planilha. Quem trabalha em frente ao computador, pode anotar direto na planilha diariamente, mas mesmo assim, o ato mecânico de escrever, nos traz consciência dos gastos.

Vamos à prática?

Inicie pelas despesas obrigatórias fixas (reveja o post anterior aqui), pois nessas não podemos mexer. Veja o quanto isso realmente ocupa, em termos percentuais, de sua receita (o quanto de dinheiro você recebe de sua renda principal, líquido). Para facilitar, divida sua receita (salário, pagamento, como queira chamar) por 100 (Ex.: R$1000,00 / 100 = R$ 10,00) pode ser que você use 0,50% em algum item, como por exemplo alguma taxa, mas vamos iniciar pelo simples, com valores inteiros.

Faça da mesma maneira com as obrigatórias variáveis, com as não obrigatórias fixas, e com as não obrigatórias variáveis. Tudo tem que se ajustar no 100%, portanto tente adequar os valores percentuais na planilha.

Obviamente o primeiro campo a ser mexido é  “não obrigatórios variáveis”, e seguindo pelo caminho inverso do que escrevi aqui, pois fica claro do grau de importância de cada item.

Parece confuso?

Pegue o papel e passe a escrever, isso vai ficando cada vez mais claro.

Eu tenho uma planilha no excell, quem quiser me manda email, (estela@equilibrioefamilia.com.br)  onde já está tudo dividido. É uma planilha simples, com tudo o que a gente usa e precisa, adequada a meus valores, mas que você pode, mexendo nos percentuais, adequá-la a sua realidade.

Tudo nessa vida é uma questão de prática. A medida em que praticamos, repetimos, erramos, vamos acertar e aperfeiçoar o método. Isso passa a ficar automatizado e natural, assim como lavar o rosto ou escovar os dentes.

Em casa, passamos a ter esse hábito há cerca de 10 anos. Antes, eu ou Elliot tínhamos uma metodologia, e nos acertamos. Hoje, nos sentimos perdidos e confusos quando a correria do dia a dia nos impede de lançar os valores na planilha. Não conseguimos fazer uma compra maior, ou uma viagem, até mesmo aumentar os investimentos, sem ter a clareza de como andam nossas contas.

Procure envolver sua família no processo. Contas claras a todos facilitam a organização e tudo entra em harmonia. Lembre-se seu lar é seu refúgio, inclusive financeiro.

Aproveite o campo de comentários e deixe suas dúvidas!

Publicado por Estela Maria em 23 de junho de 2015 às 16:17