Qual Seu Perfil Investidor

Muito se fala sobre investimentos, ouvimos os economistas falando na TV sobre esse assunto, mas poucos realmente tomam coragem e colocam seu dinheiro a risco. Claro, é difícil ganhar, é suado, e é tão fácil alguém colocar a mão em nosso bolso, já basta o governo com tantas taxas. O banco também, precisamos dele, mas tudo é tão caro e nem sempre vantajoso.
Como escolher onde deixar meu suado dinheirinho dentre tantas opções de mercado?
Antes de olhar para fora – e parece que olhamos para os dentes ferozes de um predador – devemos olhar para dentro, para nós mesmos, nossos medos, nossas crenças, valores e objetivos.
O processo de coaching financeiro é um processo que visa sua maior prosperidade, especialmente no campo financeiro. O coach financeiro não é um consultor de finanças, não é ele quem aloca ou aconselha a colocar seu dinheiro em qualquer lugar. Nosso trabalho é a organização e potencialização do resultado, conforme aquilo que o coachee decidir. Por isso leva-se em conta até onde o coachee pode/quer ir.
Dar um passo adiante é possível, desde que o coachee entenda e assuma a responsabilidade de sua decisão. É um processo onde o coachee toma a direção de sua própria vida financeira, trazendo a responsabilidade. Tanto o ônus quanto o bônus.
Portanto é de suma importância entender perfeitamente seu perfil e objetivos para alocar seu dinheiro onde for mais adequado. Aliás, não existe “melhor investimento”. Existe “melhor investimento para você” aquele que se adequar ao seu perfil e necessidades.
Acredito que essa ilustração acima já explica direitinho o perfil, mas isso não significa que a pessoa deva se prender a idade. O que a ilustração insinua é que quem tem mais “tempo”, pode também se arriscar a perder, pois tem exatamente o tempo a seu favor para recuperar as eventuais perdas. Pode-se e deve-se investir em rendas fixas e rendas variáveis em qualquer idade.
Se há um conselho de ouro no campo investimento é a palavra DIVERSIFICAÇÃO . Isso quer dizer que é importante investir em coisas diferentes para garantir alguma rentabilidade.
Quando a inflação está alta, os investimentos em rendas fixas são interessantes.
Já a renda variável (ações e fundos) não obedecem essa regra, pois variam conforme o mercado indica. E quem é o tal mercado? É quem compra e vende nele, ou seja, eu, você, seu vizinho, e aquele mega investidor. Todos nós podemos operar no mercado variável.
Conservador – Quer ter o dinheiro sempre a mão e não gosta de pensar em risco. A indicação são as rendas fixas: CDB e Tesouro Direto podem ser considerados mais adequados para esse momento da economia brasileira. A Poupança é uma forma de reserva de dinheiro a curto prazo e não pode ser enxergada como investimento pois a inflação é maior que o que a poupança paga, ou seja, deixa o dinheiro parado em poupança, perde dinheiro!!!
Moderado – Não tem tanta urgência do dinheiro e se permite correr algum risco em troca de um maior rendimento. Neste momento da economia, podemos incluir, além dos dois citados acima, a Previdência Privada, os Fundos Imobiliários, Ações, Ouro.
Arrojado – Tem tempo e pode esperar! Está ligado no mercado e dispõe seu dinheiro a risco, esperando uma boa rentabilidade. Ações e Fundos são sua prioridade.
Claro que existem muitos outros tipos de investimento, mas o post de hoje é somente para detectar o seu perfil de investidor, com algumas opções para que você tente visualizar na prática como funciona.
Como eu citei acima, um bom negócio é diversificar. Separar uma parte do dinheiro para garantias e outra parte para maior rentabilidade. Usar sua idade cronológica pode ser interessante na hora dessa diversificação: Quanto mais jovem for o investidor, mais investimentos arrojados, por exemplo, mas sobre isso dedicaremos um outro momento.
Reflita sobre quem é você no campo dos negócios. Gosta de correr riscos ou prefere o garantido?
Agora pense em seus objetivos: Quando e como pretende usar o dinheiro?
De onde vem o dinheiro que compõe seus investimentos? Tem como aumentar esse aporte (quantia  a investir)?
Tendo respondida essas perguntas, certamente você se encontrará no perfil de investidor.

Publicado por Estela Maria em 21 de julho de 2015 às 23:10